sexta-feira, 13 de janeiro de 2017


Tentou fazer cu doce pra mim, logo eu
que sou diabético.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

AMOR-AO-CONHECIMENTO...
"Quando era jovem, eu vivia muito angustiado, era muito só, muito. Eu não estou fazendo melodrama, simplesmente era uma angústia de desejar alguém que ficasse perto de mim, e me tocasse corporalmente - era uma fome de amar. Não me importava: uma mulher, um homem, um cão vadio, um pássaro daqui. Era só, e sem ninguém. Vivia com minha avó, e também com minha tia que era uma histérica, que não permitia o toque. Essa mania do não me toques tem sua etiologia advinda dos meus pais e irmãos, do meu avô alcoólico que bebia porque faltava-lhe o toque. Na escola do segundo grau, onde eu estudava na capital mineira, era algo tão pesado, tão, que aos sábados e aos domingos eu tentava frequentar lugares públicos e ou cinemas com o objetivo de fazer amizade - eu não pensava em sexo, juro, mesmo sendo tão jovem e bonito! Mas não conhecia ninguém, nem mesmo um Seu Ninguém. Foi quando li meu nome em primeiro lugar, aprovado no vestibular, então eu tive uma nítida percepção de mim, percepção essa que nunca mais desgrudou da minha pele/ alma/ mente, sendo algo experiencial: 'minha área não é do amor-sexual, mas do amor-ao-conhecimento'. Assim, ao longo do meu desenvolvimento e aprendizagem optei por ficar só. Creio que nesse sentido da vida, quando estiver muito doente, à beira da morte, eu sofrerei de forma absurda, pois acostumei-me a ficar só, rodeado de livros, artigos científicos, revistas, internet, de técnicas, de testes padronizados, de procedimentos, de filosofias, de etapas mornas, filmes, séries, mangás, quadros, enfeites, panelas novas, fotos de atores que eu escolhi como ídolos, bichos de pelúcia, além de muita comida podre - uma trôpega respiração de merda. São coisas que dou vida, objetos e dispositivos que humanizo e que substituem o outro-concreto-comigo. Disso tudo, nesse tempo e espaço de cuidado, creio que morrerei mais rápido estando fisicamente perto do outro, não suportando sua voz e um medo ferrenho desse mesmo outro que terá em tocar um corpo decrépito, fedido. E nesse momento eu acho que pensarei: 'não suporto o inferno desse meu amor fracassado' ".

[Hiran Pinel, autor; ficção e não adiantam teimar (kkk), é intencionalmente ficção, mas é claro que a gente se projeta também, mas intencionalmente é ficção; vou corrigindo esse texto, pois nossa Língua Pátria é complexa demais... kkk].

[Trouxe do Facebook direto pra cá]

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

FRASE
"Os relacionamentos são como vitamina C: em altas doses, provocam náuseas e podem prejudicar a saúde" - Zygmunt Bauman (Prefácio de Amor Líquido)

NOTA:
Zygmunt Bauman (Poznań, 19 de novembro de 1925 – Leeds, 9 de janeiro de 2017) foi um sociólogo polonês, professor emérito de sociologia das universidades de Leeds e Varsóvia.
essa série sul-coreana é uma brasa, mora!

SOBRE A SÉRIE "COFFEE PRINCE" (COREIA DO SUL, 2007) - "A PRIMEIRA LOJA DE CAFÉ PRÍNCIPE" (The 1st Shop of Coffee Prince)

cada episódio melhor do que o outro, cheio de frases bacanas, sentimentos profundos, emoções ditas, mas não vividas e nem solucionadas... Fala-se uma vez, e ela se dará conta pelo amor - é assim uma série... Tudo o amor resolve, o conflito de classes não é abordado, mas se resolve pelo amor, pelo casamento. Um cara abandonado, descobre que a mãe era graduada em Matemática, ciências exatas, e ele hoje, um inexato, inconcluso, incompleto... Uma solidão evidente, seu empregado (e irmão) está presente, provoca-o além das aritméticas, aproximando-se da Psicologia, da Sociologia, da Filosofia - o inexato... Ele inventou isso de irmão para poder expressar sem culpa, amar sem culpa.... Ele está sendo enganado pela guria, mas a guria está descobrindo que ele ama ele, e não necessariamente ela... a cabeça dela está a mil, a dele um trilhão... kkk que série, que série... linda demais... doido pra ver ele (ela) se revelando, a reação histérica e dolorida dele, afinal mais uma vez enganado, mais um engano apenas, já que foi enganado de berço... puxa... dá pra gente viajar, e se tem uma coisa que eu não tenho medo é de viajar, imaginar... Uma série dessa muda alguma coisa dentro da gente, não é possível... kkk


O protagonista, o ator Gong Yoo em cena ... Um heterossexual mulherengo, apaixonado por um rapaz, seu empregado na sua loja de café chamada Coffee Prince... Tudo em Seul, na Coreia do Sul, Ásia... País do k-pop, k-drama. k-tudo kkk amo.



GONG YOO, ator no papel de Han Kyul, colocando as telespectadoras à prova... kkk Essa cena com o peito dele aparecendo deu o que falar... kkk Mas o personagem é pra cima, mesmo com uma história pra baixo (triste)...

Gong Yoo com seu par, a atriz Yoon Eun-hye como o rapaz Go Eun-chan: frenesi em corações ambíguos... Yoo pede colo sempre a Eun-chan... é um carente... ela é mais forte.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé
a equipe de príncipes... Todos homens, ops... tem uma que se travestiu de homem para poder trabalhar, já que a exigência para o emprego era ser do sexo masculino

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up
O ator Gong Yoo - no escuro a gente o vê melhor... por suas interioridades... (do personagem)...

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
A comédia fica mais por conta do ator Lee Eon, talentoso demais... rouba cenas... kkk

A imagem pode conter: 2 pessoas, atividades ao ar livre
Na frente o ator Lee Eon coloca água no balde vermelho (gente, ele rouba todas as cenas em que aparece... time pra comédia), e ao fundo o ator Kim Jae-wook.

Gong Yoo se apronta, e o garoto tudo vê - como é de fato uma mulher, seu coração pela fogo... O amor dos dois começa aí... Tem o clichê de um caindo sobre o outro... adoro esse clichê... com câmera lenta e tudo... e musiquinha ao fundo... kkk

Como Yoo é ídolo de lá, a câmera generosa é atraída pelo ator (no seu personagem) para deleite das e dos fãs... kkk

os protagonistas brincam entre si - profusão de sentimentos, emoções e desejos, entrando aí o conhecimento acerca deles mesmos como "ser-no-mundo"



SÍNTESE DA SÉRIE (MINI RESUMO):
Um ricaço sul-coreano, playboy é pressionado pela avó para que trabalhe em algo efetivo. Ele monta uma loja de café, cujo nome é Príncipe... Como se chama príncipe, o melhor é ter os garços masculinos, bonitos, jovens e imberbes (na Coreia do Sul a genética ajuda kkk). Uma garota precisa trabalhar, e se trasveste de homem e consegue o emprego, sendo dinâmica, aprontando, direcionando, gestando... Cara de garoto ela conquista a todos, mas o patrão, que é um mulherengo convicto (logo um heterossexual) se apaixona por ele (que é ela)... Ele se descobre gay, mas está sendo enganado por ela, que tem necessidade de grana, pois sustenta a casa.  Comédia de erros, dramas existenciais, família e seus revezes, avó querida, pai desastrado, mãe submissa, empreendedorismo (neoliberalismo) - e um grande amor de um homem por outro homem, sendo que ele gosta de mulheres... Cada reflexão massaroca, bicho!

BEIJOS...
A melhor série, a mais emocionante... Revendo A Primeira Loja Café Príncipe/ The 1st Shop of Coffee Prince (Coréia do Sul, 2007; total de episódios: 17)... Com Gong Yoo como Choi & Yoon Eun-hye como Go... Que história e cheia de detalhes, vou resumir desprezando muitas variáveis... Um cara rico abre uma cafeteria, e como é uma loja chamada príncipe, eles procuram 4 rapazes que sejam "príncipes", leia-se jovens, imberbes e bonitos. Uma garota precisa do emprego, e ela se traveste de homem e passa ser objeto de alegria de todos, e o patrão (Gong Yoo) se apaixona por ele/Go... Só que Choi é heterossexual, imaginem a confusão, a comédia de erros e o drama desse homem (mulherengo) apaixonado por um homem. Então, ele procura um estereótipo de psicólogo doido que faz perguntas preconceituosas e padronizadas,a série deve estar criticando esses profissionais de lá kkk Criticar os daqui, de jeito algum kkk Muito bacana. No episódio 7 e 8 ele o beija e aceita que é um sujeito dividido... No episódio 6 ele pede ao funcionário Go que o deixe beijá-lo, pois precisar testar-se... É bom entender que falamos da Coréia do Sul e as dificuldades corporais de tocar - por isso Choi passa o tempo sem saber que Go é mulher... É outra cultura... Quando acaba de beijar Go (um homem), ele diz que não sentiu nada - mentiroso. Tontamente, Choi vai caminhando pra uma sala afastada da cafeteria, coloca a mão no coração e então compreende que ama um homem, e passa a mão no rosto e diz "preciso assumir logo, quero ser feliz" - é uma cena muito triste, pois está sendo enganado. E ele vai trabalhar nos próximos episódios suas dificuldades em lidar com gays... Muito bacana...

NOTA: é preciso compreender a subjetividade sul-coreana; no Brasil logo se descobriria que o rapaz é uma moça; mas lá, naquele espaço-tempo (da série) a coisa é pudica, moralista, dificuldades de tocar os corpos (a não ser toques agitados e tensos)... é outra cultura. 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017


O "QUE É" E "COMO É" SER SER UM ALGUÉM NO OFÍCIO? QUAL O SIGNIFICADO DESSE VIVIDO?
Ambos apaixonados estão em uma cama de casal em um chão de uma espelunca vietnamita. O cara que se prostitui fala com sua maior paixão até então, que se desvela com ciúme do ofício:
- Sou prostituto! Sabe o que significa é ser um prostituto?
- (escutando em silêncio fica a "paixão" dele - mas está começando a chorar baixinho)
- Significa que você tem que se dividir em duas partes. Esse é o sentido: duas partes dissociadas. Por um lado, seu corpo é uma ferramenta pra ganhar dinheiro, e o dinheiro do cliente só pode comprar meu corpo para seu prazer. Por outro, o cliente nunca poderá tocar meu coração, pois esse coração (bate no peito) pertence a você, só a você!
- (a pessoa escolhida como "paixão" reflete para si mesma: nem mesmo o coração a ele pertence, pertencendo a mim)
O prostituto não se pertence, ele é um outro-Outro para aquele outro, ele é a fantasia do outro - nunca é si-mesmo. O prostituto não se reconhece, e nem se identifica - pelo menos nesse filme, estranho e provocante filme vietnamita. Saigon é linda, e eles a chamam de Saigon, o que hoje é oficialmente Cidade de Ho Chi Minh.

[Filme Lost In Paradise/ Perdido no Paraíso, Vietnã, 2011.].
Boas cenas yaoi que pode agora virar clichê kkk... Muito bom... In: โจอี้ & ปวิน The Extra The Series, ou ฉากจับมือ. Vou colocar cenas... Os dois atores roubam as cenas...

A imagem pode conter: 2 pessoas, close-up


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e texto

A imagem pode conter: 1 pessoa

Nenhum texto alternativo automático disponível.




O BRASIL EM UM FILME YAOI CHINÊS
Síntese: No filme "Uncontrolled Love 2" (2016; CHINA; 不可抗力), aos 15:50, Shu Nian chega ao apartamento, e atrás, afixado na parede, um poster do filme brasileiro "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" de 2014.

Bem, a história é um melodrama até com rostos desfeitos por acidentes de carro, mas um acidente "nada a ver" kkk Então, lá pelos 15 minutos do dito cujo filme, o personagem Shu Nian (ator: Wang Bo Wen) vai sendo conduzido pro apartamento de um recém-amigo. Nian, sim ele é submisso, precisa ser dominado e os outros têm que ser dominadores dele, senão não acontece nada. Nian chega ao apartamento (do rico) e ao fitar-nos, pois ele parece nos olhar, com seu olhar de pedinte, kkk então vemos atrás dele, afixado na parede daquele lar (kkk), um cartaz do filme brasileiro, premiado no Festival de Berlim. "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" de 2014.

Gentemmmm... Nossa fama de gostar de filmes e séries asiáticas, os de determinadas áreas, está pegando forte aqui no nosso torrão que vive tempos sombrios (iguais lá na China Popular com a censura ferrenha kkk)... Eles colocaram esse poster (desse nosso filme) só pra nos conquistar, sabe que há um mercado que crescente aqui... Eu componho esse mosaico, eu fã, mas me proponho ser com os pés no chão... kkk "Jesuis", mas é um melodrama mesmo kkk. O final é mais meloso do que se pode pensar... Dá gastura, aproxima à uma telenovela dessas do SBT, dubladas ou não...