segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Você é um homem casado não tem o direito de fazer carnaval (kkk)

Trecho da canção popular "Telecoteco" de Marino Pinto e Murilo Caldas, gravada por Isaurinha Garcia... Letra que hoje pode nos soar engraçada e melodramática.
assistindo agora um desenho na Cartoon Network - CN "Poderosas Magiespadas"... bem, e lá pelas tantas, o herói diz a uma planta carnívora doidona:

"- Eu vou mandar você procurar um psicólogo botânico" kkkk

Só rindo... Será dublagem ou no original é assim? Adorei... Assim se faz propaganda de um ofício, sabiam?

{Hpinel}

sexta-feira, 15 de setembro de 2017


Kongpob ama e não é correspondido por Arthit.
Ele grita o nome do outro e nem mesmo é escutado.
Ele confessa ao amigo: - O amor roubou a minha paz,
Eu vivo num pedacinho de Saigon de 59-75.

Kong está ansioso e clama piedade.
Não lamente Kong, logo virá um casamento de P'Thon
Arthit estará com fome e irá te convidar pra jantar
E na Ponte Rama 8 tudo irá acontecer - os dois de terno e gravata...

Mas recorde sempre: Thit é veterano. E Ong? Ong é calouro
Ele é um homem, você é um cara
Você sabe que ele gosta de leite rosa
E ele sabe que vocês se amam.

Ambos ficam dos seus apartamentos procurando o outro
Memórias de passado recente como se idosos fossem
Noites sonâmbulas, madrugadas molhadas
Cada lágrima é um desejo de ser feliz.

[Hiran Pinel, autor; ficção]

NOTA: Arthit e Kong são personagens (protagonistas) de Sotus The Series, uma série tailandesa.
 - VOCÊ SABE QUE EU SOU UM VETERANO E VOCÊ UM CALOURO?

- SIM.

-VOCÊ SABE QUE EU SOU UM HOMEM, E VOCÊ É UM HOMEM?

- SIM, EU SEI.

- VOCÊ SABE ATÉ QUE EU GOSTO DE LEITE ROSA...

[Diálogo rico de significado dito por Arthit e minimamente respondido por Kong, na Ponte Rama VIII, in Sotus The Séries].


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

KONG & ARTHIT: UM CASO DE AMOR
Kong ama e não é correspondido por Arthit.
Ele grita o nome do outro e nem mesmo é escutado.
Ele confessa ao amigo: - O amor roubou a minha paz,
Eu vivo num pedacinho de Saigon na época da guerra 59-75.


Kong está ansioso e clama piedade.
Não lamente Kong, logo virá um casamento de P'Thon
Arthit estará com fome e irá te convidar pra jantar
E na Ponte Rama 8 tudo irá acontecer - os dois de terno e gravata...

Mas recorde sempre: Thit é veterano e Ong? Ong é calouro
Ele é um homem, você é um cara
Você sabe que ele gosta de leite rosa
E ele sabe que vocês se amam.

[Hiran Pinel, autor; ficção]

NOTA: Arthit e Kong são personagens (protagonistas) de Sotus The Series, uma série tailandesa.


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
Adicionar legenda


MINHA MÃE NUNCA ME DISSE ISSO ...
Bangkok... 6 amigos, ainda na juventude, despedem de um deles que vai fazer universidade na China. Uma noite de bebedeira, enquanto a mãe dorme. O anfitrião, que vai pra Pequim, resolve fazer um jogo de cartas de baralho: joga as cartas na mesa e cada um cata a primeira que conseguir, e quem ficar com o rei, manda no grupo. O última é o anfitrião que no outro dia, ainda cansado, diz que eles deverão até o outro dia representarem fielmente que são casais de namorados, fazendo na frente de muitos e entre eles mesmos. Eles reclamam, pois gostam de meninas. A série narra descrevendo esse dia com muitos dramas e descobertas, e o mais vital, o anfitrião vai sofrer e muito. A mãe do protagonista numa cena, diz mais ou menos ao filho: "Vc vai pra China e ficará anos longe de seus amigos. Diga o que sente por cada um deles, não esconda nada, não deixe nada ao ar, pois a melhor coisa da vida é a verdade e não o mistério, pois o mistérios nos dá tensão, ansiedade e quando vc ficar idoso ficarás muito melancólico e saudoso daquilo que não foi vivido realmente, concretamente"... kkk Eu refleti nessa hora: Puxa que puxa, minha mãe nunca me disse isso! ... kkk

NOTA:
Título em inglês: I Am Your King The Series
Título Original: ผมขอสั่งให้คุณ
País de Origem: Tailândia
Gênero: Drama
Nº de Episódios: 12

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Cada amor que tenho é sempre a primeira vez... pernas trêmulas, coração à boca, respiração ofegante... kkk 

* * *

Só aviso uma coisa: quando eu cheguei aqui, tudo era mato... Então não me tire por menos, tá família juvenal-juvêncio? kkk




* * * 

 

sábado, 2 de setembro de 2017

Singto e Krist vestidos, cada um, de terno rosa
Ambos fazem charmes de modelos exemplares
O que é e como é esses desejos perpassando aos fãs?
O que faremos de nossa vida? E depois, depois e depois?
Singto e Krist não têm consciência do impacto deles em nós
Eles estarão sós ao final - Singto já lamenta, na rede, suas frustrações
Kristt apoia Singto nessa procura humana de um sentido pra vida
Os fãs ficam atentos aos próximos ídolos, e logo-logo os esquecerá
e a vida vai nos interrogando a todos, inclusive aos nossos Arthit e Kong:
- Qual o sentido de sua vida? E então tentamos responder... Tentamos.
Já eles nem isso: sofrerão da mesma ilusão que agora nos contamina.



[NOTA: Singto e Krist são dois atores tailandeses de "Sotus The Series" e agora, na segunda temporada, "Sotus S The Series", nos seus personagens Kong e Arthit; são jovens e talentosos; texto de minha autoria; ficção]
Eu fico abaixo das estrelas, e daqui eu te percebo e sinto. Nunca poderia chegar até a você, mas te olho com seu doce sorriso, pele alva e translúcida, corpo de cuidado frágil, e que um dia senti seu prazer concreto comigo. Mas hoje, a única certeza que tenho, é que é daqui o meu lugar, e tudo nesse tempo. Te olho e te sinto, e terei uma noite só de esplendor, algo inventado na minha alegre solitude.

[HP; autor]
MÃE, MÃE...
Chorei (e choro) com essa série do primeiro ao 14o episódio, o último episódio, de número 15, o governo da China Popular censurou... Vou falar aqui apenas do 5o episódio. A série se chama Addicted (Heroin) | 上瘾 (China Popular). Vou destacar dois diálogos comoventes:

1) no churrasco de rua regado à cerveja, Gu Hai confessa que deseja apenas cuidar do outro e o outro lhe diz pra não usar da sua tolerância (ele parece gostar dos jogos do outro) para produzir falta de vergonha, insinuado alguma sexualidade, pois a sensualidade está clara (kkk) - uma fala ágil e cheia de segundas intenções; 

2) quando bêbado, nas costas de Gu Hai, ele balbucia com uma imensa dor "mãe", "mãe", e o faz pela segunda vez, e me parece que mãe é uma figura que deve ser muito cultuada pelo regime, tal qual aqui, mas lá com bastante força, com um dos sustentáculos na história do país, assim como na Rússia do filme Encouraçado Potenkim... 

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto e close-up
Adicionar legenda
É uma produção visivelmente barata (numa dimensão econômica), mas de uma qualidade imensa, arte. E cada episódio é uma obra de arte, refinada e sensível, sem jamais perder a sexualidade que gradualmente parece indispensável, ligada à história mesma - não sendo assim apelativa e nem pornô.

Pena da censura chinesa (da parte Popular), qualquer censura é uma pena, ainda mais em uma obra de arte... É o tal negócio, o Estado sabe que uma boa obra de arte provoca as pessoas, provoca multidões, toca em tema delicado, tema esse que pode ameaçar a manutenção da nação, da sua pretensa moralidade.


A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Adicionar legenda
Quem nunca fez loucura na adolescência? - pergunta Gu Hai para Yin. Eu ainda tento fazer, eu tento Gu Hai... Sempre fui um esforçado na esfera amorosa, sempre... é um esforço hercúleo, sem muito sucesso, mas nunca perdi ou perco a esperança e então eu tento, eu tento... Um dia "eu vou conseguir", cantava Wanderléa roqueira... kkk
[Hp; ficção]

Cena da série "上瘾 Addicted Heroin" (China Popular). Heroin (de heroína, droga, algo que vicia). Heroin é a junção dos nomes dos dois personagens que se envolvem em um "amor viciante", algo que os toma, de tal modo, que acabam se fragilizando e ao mesmo tempo os potencializando...


A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Adicionar legenda




Falo nada, só "óleo" e deslizo o olhar penetrando os desvios e neles me encontro e desencontro comigo e contigo - no mundo.
Esperando algum amigo me ligar dizendo: "Hiran, arruma suas malas, vc vai comigo pra Bangkok, te explico no caminho".
Hoje, 22 de agosto, é o dia do professor de Educação Especial. Estamos de parabéns... !
Ele contou nossa história - a do nosso amor. Ele chorou enquanto falava... Mas eu já estava morto, e nunca pude sentir isso...
"Meu sonho é tocar o firmamento para me converter numa estrela longínqua, porém fulgurante e bela, assim todos iriam recordar de mim, por aquilo que cheguei a ser" [María Montez, 1912-1951; atriz - minha tradução].
Descendo a rua, eu vi primeiro a bicicleta.
Você desce dela e entra na livraria
Procura algo pra você ler e se derreter
Você escreve seu nome nele e pensa em mim
Imagina eu sorrindo pra luz do céu - noite estrelada
Um tarde quente e você jogando futebol
Enquanto você corre no campo, eu esperava o doce diet
Ali pertinho, o mar revelando nas ondas seu amor
Ao chegar a aurora - amanhecer do seu dia de trampolim
Finalmente olha fixamente no sol nascente
Você finalmente me enxerga ao seu lado
Meus braços abertos e os dedos dispostos a te acariciar
Você deixa a bicicleta de lado e se entrega aos meus lábios.


[Hp; ficção]

A imagem pode conter: 3 pessoas, multidão



O ator tailandês Singto, protagonista de Sotus The Series, interpretando um roqueiro do seu país... No programa de TV "Lip Sync Battle" da Tailândia. Apoteótico, talentoso, raro. Grande ator!



Fãs? Quer raça mais ordinária? Verdadeiros coiotes. Hoje nos amam, e um segundo depois, diante de outro mais bonito, tudo muda...
MÚSICA NÃO CURA,  MAS ... kkk

- Você quer tomar um drink, moça?
- Por favor meu jovem, me poupe, pois eu tenho namorado!
- Acalme sua paranoica, eu sou garçom. Entendeu? Garçom, sua desequilibrada que acha que todo cara está te cantando. Acorda!
kkk
HOJE É DIA DE ROCK, OPS... DO PSICÓLOGO...
Simbolicamente pode ser um dia pra gente pensar nossa formação inicial e a continuada, nossa formação técnica, clínica, comunitária, política e científica. Que tipo de profissionais procuramos para nos ajudar na nossa demanda de cuidar da gente mesma? Que tipo de supervisão procuramos e concretamente participamos? Que tipo de supervisores somos? Que livros estamos lendo e estudando? Lemos literatura ficcional? Quais? (kkk) Misturamos alhos com bugalhos? (kkk) Nossa faculdade estava de fato bem planejada, com todos as ferramentas indispensáveis disponíveis aos estudantes, os futuros profissionais psicólogos? Os nossos professores eram pesquisadores e profissionais respeitados?
São só questões que eu levanto como levantaria pra outros ofícios, mas que aqui-agora cai bem para os psicólogos. Não tenho resposta e nem sou dono de alguma verdade, só produzi questões que faço a mim mesmo.
Eu abro os olhos lentamente
Vejo seu rosto da multidão
Como vou resistir a você?
E se nossa vida, de surpresa, mudar?
Cairei como em uma queda livre
Minhas mãos serão abandonadas por você?
Segure-me firme como sempre fez
Cuide de mim, como sempre falou
E aquelas histórias antigas? Conte-me mais!
Leve-me ao seu tempo, fique no meu espaço
Eu era pura hesitação, hoje caminhos frágil com você.
Nunca me diga que escondi algo de você...
Te autorizo reconhecer que sempre nos ferimos
E ainda assim, sinto sempre suas delícias, seus lábios
Não deixe de me doar sua ternura e fique aqui-agora
Aperte minhas mãos, não me deixe cair na minha queda.


{HP; autor}

Quero pedir desculpas... kkk
Eu olho para você, e vejo um filme de sexo amoroso. É como você estivesse se desnudando na minha frente, para minha delícia, meu delírio... uau... ser Vida.u
Ontem a noite deitei, e da minha cama fiquei olhando as estrelas no céu, comecei a contá-las, a sonhar que eu era uma.

De repente, do nada, dei um pulo da cama e assustado, com os olhos estatelados, interroguei-me:

- Onde foi parar o telhado da minha casa? Onde?

[Hp; adaptado e recriado de um texto da internet]
QUE ILHA VOCÊ LEVARIA PARA UMA PESSOA DESERTA?

* Frase poética de: José Juva, de Olinda Pernambuco, nascido em 1984.
.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

FÃS BRASILEIROS DE SÉRIES/ "LAKORN" TAILANDESAS YAOÍ

PINEL, Hiran.

Sou filiado a alguns face's (facebook) que tem como tema fãs de séries tailandesas yaoi, e que se desvelam verdadeiros otakus kkk. Eu navego muito neles, mesmo que minha maior presença seja em apenas um brasileiro, de mais fácil comunicação, mas "viajo" em todos, escrevo em português mesmo, e eu não estou nem aí. Alguns, por não saberem o que eu escrevo, me ignoram ou me deletam, MAS quase nunca falo mal dos atores, da série etc. Sempre elogio, é algo respeitoso em meio aos fãs.

O QUE EU OBSERVO?

1. Os fãs, homens e mulheres (maioria mulheres, no Brasil, maioria homens e gays) gostam mesmo, comentam, falam, alguns se descontrolam, especialmente diante da beleza oficial dos atores kk;

2. Sinto que existem os mesmos fãs disparadores (remunerados ou não), logo posso levantar suspeita de ganhos econômicos de algum modo por parte de alguns ou que muitos fãs são otakus de fato - kkk;

3. Reclamam em demasia dos ingênuos beijos entre os personagens, exigindo língua - k sabe da cultura e a censura na Tailândia? kkk; 

4. Reclamam da pouca presença práticas sexuais explícitas? kkk se beijo é insinuado, imagine sexo!; 

5. Todo ator é descrito como lindo, maravilhoso, deus, ícone etc... Uma conjunto de adjetivos que circulam por aí kkk Há descontrole que eu amo, adoro; 

6. Mesmo que algum ator (poucos) seja mau intérprete (eles são muito jovens em idade, logo com pouca prática de interpretação e alguns acabam canastrões kkk a própria TV os formam), no facebook não se toca no assunto, e não se permite que o outro fale, considerando isso como ameaça ao face, uma ofensa sem pagamentos, horror, angústia, falta de ética. A ordem é elogiar sempre com frases mais curtas possíveis, uma palavra única tipo tesão, morrendo kkk Se vc não deseja ser cortado, é preferível cala-se ou ter habilidade em escrever, denunciando, por ex, o mau ator, mas o elogiando; Há um tipo de interpretação que capturamos o canastrão: um pergunta algo e o outro responde, mas tudo muito demorado, como se ambos tivessem um "ponto de ouvido" (de escuta); isso é visível kkk ao mesmo tempo, isso pode ser um tipo de interpretação, pois mesmo imaginando, eu adoro essas cenas, onde um diz lentamente "olha a Lua no céu, ela acentua a cor azul", e o outro olhando, pisca levemente os olhos, abre a boca primeiro e responde num som onomatopaico "hummm" como sim... kkkk eu morro de rir, adoro, amo esse clichês; um ator cair sobre o outro kkkk; um dar comida na boca do outro por qualquer coisa kkk um pegar no prato do outro um pedaço de alimento... kkk amo esses clichês, esses detalhes, pontuando que o amor é isso: "detalhes tão pequenos de nós dois" como dizem o rei e o Erasmo kkk

7. Compram fofocas do país de origem, e nos alimentam com as mesmas kkk O casal de personagens na vida real também estão juntos, mesmo que capturemos que na vida real os dois sejam heterossexuais; 

8. A questão mais comum (k) e banal entre os fãs pode ser: Aqueles atores vivem personagens yaoí, eles são na vida real um casal de verdade? Os fãs gastam energia com isso kkk adoro, lúdico demai; 

9. Dependendo do personagem, se antipático ou não, eles odeiam, falam mau (do personagem), blasfemam em nome do senhor Buda e outros santos ao redor daquela área da Ásia kkk e nós...

10. Usa muito termo específico em inglês (k) isso é demais, tenho que procurar o significado estabelecido kkk - morro de rir, mas tem hora que dá antipatia da recusa em usar termos em português; mas eu aceito ao final kkk; 

11. Não gostam de respostas aprofundadas, com textão/ texto grande kkk, pois a preferência é por termos rápidos e de conteúdo (pra eles) como "gostoso", tesão, homão da porra, tô morrendo; molhadinha, chorando, desmoronada etc. Tem vez que nem escrevem, inserem imagens com esses dizeres... Por ex: O ator comentado no post é lindo, eles colocam uma mulher de perna aberta saindo uma cachoeira do orgão sexual dela, e o termo "molhadinha" kkk Lúdico... adoro; 

12. Não suportam o fato de que os personagens apenas insinuem fazer sexo (muito leve), as vezes os personagens só falam que fizeram e de modo sutil... querem explicitação detalhada, e não aceitam kkk Comentam que os personagens não são gays, ora eles não se beijam mesmo (de língua) e nem fazem sexo... Mas eles falaram, mas não há consenso... kkkk amo isso. Sem o sexo explícito não há amor, a coisa não existe, é algo no vazio - não suportam o clima amoroso, querem partir para os finalmentes kkk lúdico;

13. Detestam que os fãs contam trechos da série, que revelam algum dados que não assistiram... Mas como? Na Tailândia passa no dia correto, e nós brasileiros recebemos a rebarba e em datas posteriores. Odeiam isso, e se comportam como meninos birrentos e birrentas. Chega a dar nojo, pois capturamos que eles não acompanham as séries com empenho de obra de arte, mas apenas vendo rapidamente e por cima as relações amorosas dos personagens. A eles não interessa a qualidade das obras, as interpretações (quase sempre convincentes), as músicas etc... Nesse quesito eu vejo um vazio, pois as coisas amorosas na tela (ficção) são quase sempre esperadas: ficam juntos ou não ficam; brigaram ou não. Os roteiros são bem simples e cheios/ prenhes de clichês (muito e muitos);

14. Tem muitas mais observações, mas essas ficam pra uma pesquisa, quem sabe? kkk 

CONCLUSÃO: são fãs como somos, humanos fãs. Esses fãs são iguais a quaisquer fãs de cinema e outras séries fora das tailandesas - de telenovelas; gente adorável e ao mesmo tempo complexa.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017


Hiran Pinel fazendo cosplay kkk...A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Lakorn significa jogo/brincadeira, na língua thai, mas é também um termo usado para as séries dramáticas tailandesas. Possuem em torno de mais ou menos 9 à 14 episódios e são exibidos em horário nobre noturno, por volta das 20:30 hs, após a exibição do noticiário local. Sua exibição dura por volta de 3 meses, com 1 ou 2 ou 3 episódios semanais. Os canais tailandeses têm sempre em exibição entre 3 ou mais lakorns diferentes - estão em alta os lakorn. Costumam ter grande aceitação e por isso mesmo, grande audiência. Possuem uma linguagem simples, direta e sensível, privilegiando o amor e buscando sempre um final feliz. Alguns lakorns são baseados na literatura e no teatro tailândes. Os atores e atrizes famosos considerados estrelas, são chamados de “dara” que na língua thai significa "estrela".

NOTA:
LAKORN é apenas um nome (logo: linguagem) pra diferenciar de dorama ou drama como thai-drama, J-drama... é procurar uma identidade e peculiaridades artísticas para os dramas produzidos na Tailândia... Será que tem isso mesmo, essa diferenciação? Eu acho que sim, precisa pesquisar..., mas prefiro usar thai-drama, pelo menos por ora.


Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up e texto

terça-feira, 18 de julho de 2017

Como o personagem Arthit de "Sotus The Series", minha aluna me disse, e na altura do ombro: "eu sinto sua falta, professor Hiran"... morri diante de tanta boniteza.
A primeira série asiática é como o primeiro sutiã kkk: nunca se esquece... "Love Sick The Series" é seu título: pronto, falei! (kkk).lei
A percepção é tudo, e dizer pela língua é a sua possível e frágil solidificação... in Boys/ Muchachos (Jongens; da Holanda; de 2014, dirigido por Mischa Kamp).

Na cena do filme, as imagens esclarecem, o amigo (moreno) diz a Sieger (loiro) acerca do amor pelo outro (Marc). Ele não esclarece do que fala, mas diz de um amor específico, mas sem nomeá-lo, e o outro percebe, Sieger captura com sentido, sente/ pensa/ age. A decisão de Sieger em ficar com o namorado Marc dependeu desse pequeno diálogo donde a essência (amor sexual) fica de fora na língua, mas fica dentro - compreendem? 

Uma obra de arte feita para a TV, e com linguagem de cinema. Boa direção, iluminação perfeita e os protagonistas brilham, além do elenco de apoio. A música perfeita, tudo a ver com a narrativa.

Elenco:


Protagonistas

ator Gijs Blom (Sieger, personagem - na imagem)
ator Ko Zandvliet (Marc, personagem - amigo intimo e amor de Sieger)

Apoio
ator Stijn Tavern (Stef, personagem - na imagem, melhor amigo de Sieger)
ator Jonas Smulders(Eddy, personagem - irmão de Sieger, rebelde)
ator Ton Kas (Theo, personagem - pai de Sieger e Eddy; viúvo)

etc.

PEQUENA SINOPSE: Dois amigos são desportistas na escola deles (fazem corrida), e se apaixonam, mas em uma Holanda mais tolerante, mas ainda assim é difícil viver a vida...




A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, close-up e texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up e texto


JOVEM GUARDA
MODA E SUBVERSÃO À REPRESSÃO ESTABELECIDA PELO ESTADO

O movimento musical ingênuo e romântico Jovem Guarda não era o único, os Beatles também... Tal qual Certeau, eu acho que os artistas aproveitam as brechas e produzem afrontas, táticas e estratégias contra o estabelecido, o ordenado como única verdade... Na época então emerge a minissaia que reinava/ dominava entre as mulheres que também usavam botas de cano longo, roupas de linhas retas. Essa moda advinha da França de 1965, pelo estilista André Courrèges (1923-2016). Os homens apostavam nos cabelos de franja, parecidos com a moda The Beatles e com o usado hoje, donde o garoto faz o papel de ingênuo e puro - quer coisa mais cute? Eu amo ver um assim (kkk) O estampado de bolinhas, bem como a geometria do vestido "tubinho" era o maior sucesso entre as mulheres. Nesse instante do país, Wanderléa (née Salim; 1946-) era o modelo possibilitado (e permitido) pelo Estado e as engrenagens da indústria do entretenimento. Wandeca, como era chamada, fazia uma proposta de subversão compatível a um agir contra a repressão da época, seja numa dimensão consciente ou não - ela disse essa semana que percebia o que acontecia no Brasil, marcantemente uma sociedade divididas em classes, como é ainda em boa parte do mundo Ocidental capitalista. A moda está enredada com as políticas, sistema judiciário e economia de uma nação, do clima/ espírito do povo - sua subjetividade individual (e coletiva) em mutação constante. Eram vestidos, blusas, calcinhas, cuecas e saias de diversas cores repletas de bolinhas brancas, desenhos geométricos, tecidos finos e até então femininos na confecção das cuecas. Até os biquínis possuíam estampa de bolinhas e traços quadrados/ círculos/ ângulos/ granulas. É bom recordar que durante o Governo Jânio Quadros, antes do estouro do movimento JG, mas foi um evento próximo, foi proibido o uso de saias curtas e biquínis. Denner (1937-1978) era o costureiro da burguesia, ameaçava com seus gestos abusados com as mãos e o modo de sentar com pernas crudelíssimas (kkk) e a arrogância que ameaçava machismo imperante, e é bom lembrar que ele vestia a dona Maria Thereza Fontella Goulart (1940-), primeira dama (1961-1964)... Imagine... João Goulart (1919-1976) e Denner... kkk Denner propunha a dona Maria ser a Jackie Kennedy (1929-1994) que ela adorou, dizem kkk Somos tupiniquins... kkk Tantos detalhes, e tem muito mais. A moda pode descrever de modo fenomenológico uma nação, um povo, um indivíduo e suas políticas nacionais, no mundo... Somos ser-no-mundo...

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e texto 


A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas no palco e pessoas tocando instrumentos musicais

domingo, 16 de julho de 2017

Meu atual cosplay (cover) kkk

TALVEZ EU POSSA PERDER MINHA VIRGINDADE COM HOMENS, EM BREVE... [1]

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

March Chutavuth Pattarakampol faz a si mesmo uma proposta, depois de um atleta gay "dar em cima dele" reclamando de distensão muscular, e como ele é o treinador e massagista de um clube (em falência) da universidade, então tem que ajudar... kkk in "Slam Dance The Series"... A história é a narrativa de restauração de dois clubes universitários em falência - luta e dança -, e o reitor irá fechar o que não conseguir medalhas em olimpíadas asiáticas.

[1] Essa frase é pra ficar repetindo quando há função, é claro! Fazer cosplay, cover... adorei... 

[2] O cosplay anterior, que ainda faço é: EU SINTO SUA FALTA, KONG... (Do 15o episódio de Sotus The Series...] No lugar do nome Kong, costumo colocar o nome da pessoa a quem me direciono, uma aluna ou aluna, amiga e ou amigo...

A minha vida tem sido uma loucura
Previsível, metódica e ordenada - sua síntese
Agora estou me doando para aqueles mendigos,
os que carecem de minha caridade, para eu ser salvo
Nesse instante-luz preciso de sorrir e então morrer - morrer
Pois eu nunca trocarei esse meu amor por de outro alguém
É grande o espaço interno em que eu me escondo
Mas ao final, nesse tempo, eu acabo me autoflagelando


Eu estou a caminho da minha libertação, mesmo tão tardia
Aconselhando-me acerca do abandono evidente que sofro
Fico de soslaio e finalmente me compreendo - é viver sem você
e só assim me recordo de tudo que eu possuo e nada tenho
então eu vou descansar em paz, meu amor, meu desamor
Mas ao final, nesse tempo e espaço, me autoflagelo...

[Hiran Pinel, autor]

2017
julho

Hiran Pinel, autorretrato via self com máquina fotográfica...


Amo, amo - amo esse frenesi de corpos em dança...
Esse sertão, esse quentão, suor, tesão - movimentos forró
Eu me recordo dos mocinhos e das mocinhas
Fofinhos e lindinhos no forró - a sanfona, o triângulo, a zabumba
E eu lá no cantinho esperando alguém pra me convidar a sacolejar
Meu olhar carente não consegue conquistar esses sujeitinhos
Então, eu os fico esperando, esperando e não me canso
Uma hora eles vão amadurecer, fico pensando...
Talvez me reconheçam como passado forrozeiro
E quem sabe vão encontrar uma motivação de ser-comigo
Nesse exato momento eu me preparo - e dou o bote.


[Híran Pinel, autor]
Dois jovens resolvem fazer um vídeo que estourou na net... Trata-se de Leona Assassina Vingativa. Um misto de telenovela brasileira, com o impacto acentuado das telenovelas mexicanas... Muitos gritos histéricos, "xingatóiros", horrores de um contra o outro e um humor que talvez eles não previssem. Desejando é só procurar os nomes como Leona Assassina Vingativa e pronto, deve ter no you tube... kkk

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e texto

sábado, 15 de julho de 2017


"TALVEZ EU POSSA PERDER MINHA VIRGINDADE COM HOMENS, EM BREVE...". [1]

March Chutavuth Pattarakampol (de gravata) faz a si mesmo uma proposta, depois de um atleta gay "dar em cima dele" reclamando de distensão muscular, e como ele é o treinador e massagista de um clube (em falência) da universidade, então tem que ajudar... kkk in "Slam Dance The Series"... A história é a narrativa de restauração de dois clubes universitários em falência - luta e dança -, e o reitor irá fechar o que não conseguir medalhas em olimpíadas asiáticas.

[1] Essa frase é pra ficar repetindo quase te função; fazer cosplay, cover... adorei... 

Em outra e diferenciada cena de Chutavuth Pattarakampol: "Slam Dance The Series...", o protagonista...
Como Arthit, minha aluna fazendo cosplay de "Sotus The Series" (Tailândia; 2017), disse-me, fazendo inclusive o gesto de abaixar-se na altura do meu ombro esquerdo:

"Eu sinto sua falta, professor Hiran"... 

morri diante de tanta "boniteza" (Paulo Freire).

No original o ator Krist, na pele de Arthit, diz a Kongpob (ator magistral Singto)... Perfeitos, em "sintonia com os desejos de ser", como diz Sartre, o "projeto (de) ser".

 

EU SINTO SUA FALTA, POIS SOU A "FALHA" QUE FALTA, E QUE TE FAZ VIVER... kkk
Análise
Filme: "Quatro e Meia da Madrugada" (Título original: 4:30; Singapura; 2005; direção de Royston Tan; título possível no Brasil: Solidão a dois).

EFEITOS DA AUSÊNCIA PATERNA...

A história é a seguinte: Xiao Wu é um jovem adolescente que reside em Singapura, cuja mãe trabalha em Pequim e lhe telefona de vez em vez. Do pai real nada sabemos. O apartamento é decorado de forma minimalista, é um menino relativamente pobre - prédio sem elevador, velho e acabado, cozinha velha, um único banheiro (que facilitará o desenvolvimento do enredo) etc. No apartamento chega um inquilino sul-coreano chamado Jung. Logo de cara temos a barreira da linguagem, então o filme opta pelo silêncio e expressões corporais. Wu, toda 4:30 da manhã é acordado pelo despertador, e vai até ao quarto alugado donde dorme o alcoólico Jung, que nem sente o contado do outro, e vasculha a vida desse estrangeiro - internet, objetos em geral, roupas, cigarros (Jung é fumante inveterado) - tudo. Ele se fotografa junto a Jung que dorme, e nem se sente e muito menos sente o outro. Outra coisa que Wu faz é manter um estranho diário em um livro - que é a parte mais linda e delicada do filme. Por exemplo: em uma cena Wo arranca com uma tesoura parte dos pentelhos (da púbis, é claro) de Jung, e os prega no livro. Wu vai ao médico e inventa q tem tosse, e lhe é prescrito xarope (leia-se: álcool) e ele se embebeda. O menino deseja conhecer esse outro (e a si mesmo), quer ser amado por ele, e mais, projeta nesse outro o pai que não tem. Tanto é verdade, que na escola, atendendo às determinações da professora, escreve redação que tem que ter 300 palavras. Ele fala do estrangeiro como se pai dele fosse, descreve uma idealização e revela as dificuldades com esse pai. A professora o pune pela redação ter só 150 palavras. Por que vc não fez com 300 palavras como determinei? Responde: "É porque eu só conheço pouco dele, só conheço isso", o que não impede dele ser punido - fica do lado de fora, encostado na porta da sua sala de aula, isso lá deve ser humilhação. Wu gosta de cantar canções tristes e as grava uma pra Jung - músicas que fala da solidão, abandono, adeus, e uma certa pegajosidade do não me abandone, por favor. Na única cena de toque físico-corporal, Wu abraça os braços de Jung, e lhe "pede" (simbolicamente) carinho e amor, vamos dizer, paternos, mesmo que aja um tom muito sutil e complexo do desejo libidinal, e aqui precisaríamos aprofundar em Sigmund Freud. Jung não se autoriza e ao mesmo tempo está fragilizado pelo rompimento com uma mulher, talvez namorada - são dois seres frágeis, ambíguos, sozinhos mesmo estando junto em um mesmo espaço, no tempo - aqui recordo de Heidegger e de Sartre, e das psicólogas Yolanda Cintrão Forghieri e Monique Augras. Depois desse roçar de peles humanas, o inquilino desaparece e vai embora, talvez amedrontado pelo outro, e o apartamento fica mais vazio, frio, tal qual os dois homens vazios e carentes. Wu imagina sendo abraçado pelo estrangeiro - cuidado por ele, e cuidando desse estranho outro. Ao final, o rapazote Wu brinca com uma minúscula aranha fazendo-a tocar em seu corpo (mãos), chega em casa, fecha as janelas e numa delas pega um pincel com tinta cor preta (luto) e deixa sua mágoa (marca): eis um menino sozinho, triste e que carece da presença paterna, que está escondido e apagado, por isso ele se entrega às aprendizagens dessa experiência para ver e sentir se sai do caos afetivo e emocional em que viver. O que será de Wu daqui há algum tempo? Qual o impacto dessa experiência com o outro, que tem algo de si? O que será do jovens no futuro, frente aos abandonos e rejeições afetivas de suas figuras paternas? Olhem pra mim, vocês se verão KKK e me enxergarão melhor no próximo "verão capixaba" kkk

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, criança e close-up

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, tela e texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas

quinta-feira, 13 de julho de 2017



Nessa festa junina troque o seu "paquera pamonha" pelo "paquera quentão"... 

Túúú... olha o trem... enguiçou... veja a cobra...