segunda-feira, 1 de junho de 2015

SESSÃO CRÍTICA DE CINEMA
Filme: "Dificuldades de aproximação" (JAPÃO; 2014; "どうしても触れたくない" - "Não Quero Te Tocar" - minha tradução; 2014; direção de Chihiro Amano; elenco: Kosuke Yonehara & Masashi Taniguchi, e outros).

APRECIAÇÃO DA PELÍCULA
"Nevando em Tóquio para manter as paixões.".
Shima vive sozinho - e é um solitário, metódico, repetitivo, compulsivo. Ele joga dois vasos de plantas ressequidas no lixo, para assim se renovar - mas é claro que isso não é renascimento... Ele acaba de abandonar o emprego, pois foi abordado sexualmente no labor, e se sente culpado por isso - ele não acredita que alguém possa gostar dele, amá-lo, por isso ele sempre pede desculpas por tudo, tudo. Togawa é seu novo chefe, já em outro emprego - um fumante inveterado e beberrão - prazeroso japonês, se é que vocês entendem kkk, a cultura marca os modos de "ser-isso-aí". A relação entre os dois se torna complexa, já que Shima se afasta sempre de tudo (inclusive de si), e Togawa se entrega ao vivido - uma entrega japonesa. A partir daí é minimalismo puro, diálogos raros e muitas imagens em tons sépia, gelo, creme... As imagens traduzem tudo, elas nos dizem o que está acontecendo. Até as roupas que vestem são minimalistas, o mínimo pra viver. Shima submisso e medroso, Togawa audacioso e dono da situação. No meio do filme, diante de uma fotografia de família, Togawa diz que perdeu sua mãe louca e irmão no fogo (o pai morreu antes), e que ele sofre toda vez que cai neve, pois se caísse naquele dia eles seriam salvos. Togawa tenta parar de fumar atendendo aos apelos de Shima, mas ele permite o retorno do vício (kkk), ao que Togawa devolve sarcasticamente: "- Você é uma esposa perfeita, nunca vou ter que reclamar" kkk Shima sorri e agradece, acreditando estar no seu papel - amos acreditam. Ao final do filme, está nevando lá fora, em um Japão metódico, e Togawa, olhando através das persianas americanas, diz: " - Shima agora eu consigo ver a neve, e não sofrer. Obrigado!". Ambos vão sair de Tóquio, e vão morar em Kyoto, já que a agência precisa dele lá, dos talentos de Togawa. Já Shima precisa de Togawa, onde ele for, e pedindo menos desculpas, parando de implorar clemência e piedade - compaixão... Togawa vai com+paixão. Mas é difícil sair do autoflagelo meu caro Shima, assim como o é também parar de fumar e de beber - cada um com sua espécie de paixão, pois é ela que nos (co)move a ser alguém junto ao outro, no mundo.

Hiran Pinel