sábado, 11 de março de 2017



OS 30 MELHORES FILMES DO MUNDO.

VITÓRIA, ES., 11/03/2017 - Minha lista dos 30 melhores filmes é sempre efêmera, evapora fácil, pois são muitas obras de artes que se produzem, e classificá-las não me parece justo, pois cada uma tem sua qualidade. Tentei fugir daqueles filmes clássicos e que entram nessas listas como "O Poderoso Chefão", "Cidadão Kane", "Crepúsculos dos Deuses", "Hair", "Plattom", filmes de Pedro Almodóvar, Igmar Bergam, Pasolini, Luchino Visconti, Quentin Tarantino, Martin Scorsese - dentre outros - eles já estão estabelecidos e nem precisam de gente para elogiá-los, pois são quase unanimidades.  

Nessa lista, sempre incompleta, ainda podemos citar sentir falta de Cult's como: "Casablanca", "Garotos de Programa" (de Gus Van Sant, com o mítico River Phoenix & não menos mítico vivo Keanu Reeves), "A Pele que Habito/ Fale com Ela/ Tudo Sobre Minha Mãe/ De Saltos Altos/ Mulheres A Beira de um Ataque de Nervos" e especialmente "Má Educação" (que pesquisei) e "Carne Trêmula" (que estou pesquisando), "Marcelino, Pão e Vinho" (1955, de Ladislao Vajda), "E sua mãe Também" (de Alfonso Cuarón, com Bernal), "Gritos e Sussurros" (Igmar Bergman), "Perdidos na Noite" (1969; de John Schlesinger), "Chihiro", "A Partida" (de Yojiro Takita), Conrack (1974, de  Martin Ritt), "Palácio dos Anjos" (Walter Hugo Khoury), "Vidas Secas" e "O Amuleto de Ogum" (Nelson Pereira dos Santos), "Dersu Uzala" (de Akira Kurosawa), "Aventurera" (com Niñon Sevilla), Doña Diabla" (com María Félix), "Discreto Charme da Burguesia", "Los Olvidados" (de Luis Buñel), "Destrezo" (com Brigite Bardot), "Quanto Mais Quente Melhor" (com Marilyn Monroe), "Ladrões de Bicicleta", "Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita" (com Florinda Bolkan) etc. Citei um único filme de Fellini e sabemos dos outros. Não citei "Cinema Paradiso". Valorizei o cinema brasileiro, mas não citei "Garrincha, Alegria do Povo" e nem o Cul "O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias", e mesmo o filme de climão yaoi, que tanto gosto, como é o Cult "Hoje Quero Voltar Sozinho" por exemplo. Acho um Cult o filme "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" de Roberto Farias, assim como "Help" dos The Beatles - eu os acho alternativos e provocadores de uma época. Tem "Caixa de Pandora" (de Pabst, com L Brooks), "Love Of Siam" (2007, com Mario Mauer e Pshy) e "Bangkok Love Store" (2007, de Poj Arnon) e tantos outros que me marcaram e me marcam.


A classificação do 1º ao 30º é mais uma mania de inventar listas (colocar em ordem quantitativa da maior para o menor), mas talvez eu colocasse todos no mesmo patamar (acho), mesmo sendo filmes totalmente diferenciados (e díspares) dos outros, mas o primeiro lugar teria persistido, perseverado tamanha beleza e sedução em um filme pouco visto e sentido (kkk). 

Como sou professor e pesquisador de uma Universidade Federal na área da Educação Especial e Educação Inclusiva (escolar e não escolar) sou impactado por poucos, mas significativos filmes dessa esfera, donde se produz ainda muito pouco ficção.  

VAMOS à minha Lista dos 30 Melhores Filmes, os que eu adoro e venero (kkk), pois procura fugir ao lugar comum das listas, sendo assim ela é uma lista muito, mas muito subjetiva e provocativa, que contém pequenas obras de arte, "creme de la creme":



1- “Tropical Malady” (Tailândia; Apichaptong Weerasetakul)




2- "Aurora/ O Amanhecer/ Daybreak" (Filipinas; com Coco Martin e Paolo Rivero; de Adolfo Borinaga Alix, Jr.) 




3 - "Um doce olhar/ Bal" (Turquia; direção de Semih Kaplanoglu)




4- "Brokeback Mountain" (Ang Lee) 




5 - "Canções de Amor" (França; de Christophe Honoré) 




6 - "Home: Love, Happiness, Memories" (Tailândia; com March Chutavuth Pattarakampol; filme de Chookiat Sakveerakul) 




7 - “Noites de Cabíria” (Itália; de Frederico Fellini) 




8 – “Eternal Summer” (CHINA/ TAIWAN, 2006, direção de Leste Chen) 






9 – "A Cor do Paraíso" (Irã; de Madji Madjii) 




10 – "Moonlight: Sob a Luz do Luar" (direção de Barry Jenkins)





11 - "A Malvada" (de Joseph L. Mankiewicz) 




12 - "Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas" (Tailândia; direção de Apichatpong Weerasethakul) 




13 – “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (Glauber Rocha) 




14 - “O Pagador de Promessas” (Anselmo Duarte) 




15 - “Carnaval Atlântida” (1952; direção de José Carlos Burle) 




16 - "Eternamente Tua" (Tailândia; de Apichaptong Weerasetakul)




17 – "No Regret/ Sem Arrependimento" (Coreia do Sul; direção de Leesong Hee-il) 




18 - “Deushitemo Furetakunai” (Japão, de Chihiro Amano) 




19 – "Casa Vazia" (Coreia do Sul, de Ki-duk Kim) 




20 - “Gilda” (de Charles Vidor) 




21 - “A Dança dos Dois Pés Esquerdos” (Filipinas, de Alvim Yapan; com Paulo Avelino, Rocco Nascino e Jean Garcia) 



22 - “O Menino Selvagem” (França; de François Truffaut) 




23 - "Cordas/ Cuerdas" (2014; Espanha; curta metragem; direção de Pedro Solís)




24 - "O Homem Elefante" (direção de David Lynch) 




25 - "Gerry" (com Matt Damon e Casey Affleck; de Gus Van Sant)




26 - "Limite" de Mário Peixoto




27 - "Hawaii" (2013, Argentina, Marco Berger)




28 - "Central do Brasil" (de Walter Salles)




29 - "Um Conto Chinês" (direção de Sebastián Borensztein)




30 -  "Doutores da Alegria" (Brasil; documentário; direção de diretora Mara Mourão)








HIRAN PINEL - é autor dessa lista efêmera; é cinéfilo confesso do cinema e séries de TV - sempre a linguagem de cinema presente; é fã do cinema e series que abordam a sexualidade entre pessoas do mesmos sexo, tipo yaoi e ou  Shōnen'ai - séries asiáticas ou não, que privilegiam o primeiro amor, a ingenuidade, a juventude - estudo/ pesquiso também a sexualidade a partir desses dispositivos. É psicólogo (clínico e psicopedagógico) pela Faculdade Dom Bosco de São João Del Rei (hoje UFSJ), bacharel em psicologia e licenciado pleno em Psicologia (pela Newton Paiva), em Pedagogia (pela UNIUBE) e em Filosofia (pela FABRA), mestre em educação (pela UFES), doutor em Psicologia (pela USP/ IP), pós-doutorado em Educação e Inclusão (UFMG/ FAE). Estudou técnica em Química, e técnico em Música com ênfase em piano - conservatório. Autor do livro: "Cinema, educação e inclusão" (da Clube de Autores) dentre outros, bem como de artigos científicos que analisam (ou não) filmes, séries, assim como coleta/ produz dados da realidade e os analisa, quase sempre na esfera da Educação Especial e Educação Inclusiva - tanto na área da escolaridade e da educação não-escolar. É professor titular, por provas e títulos, da UFES/ CE/ PPGE, leciona para a graduação (em Pedagogia e outros), mestrado, doutorado e pós-doutorado. Reside em Vitória (ES), natural de Manhumirim (MG), morou em Lajinha (MG). Frequentou o Cine Glória (do Major Rabelo) de Lajinha e o Cine São Caetano (dos Flora) em Manhumirim, mas hoje assiste filmes na internet, em DVD's, netflix, canais de séries sul-coreanas, de filmes alternativos, You Tube (espaço muito rico) e outros.